Ana Paula Jorge Sousa

11 04 2007

Ana Paula Jorge Sousa«Essa história é um conto de fadas às avessas. Ela é filha única, linda, rica, sofisticada e frequenta as colunas sociais. Ele é pobre, bandido e figura na lista dos procurados pela polícia. Assim como nas páginas dos romances, os destinos dos dois se cruzaram e eles se amaram sem culpa. Tudo muito rápido, muito louco. A jovem nascida em berço de ouro virou bandida e aprendeu, com o namorado, a roubar. Mas, ao contrário do final feliz da ficção, no enredo da vida real esses personagens se deram mal. Muito mal. Ela é Ana Paula Jorge Sousa, uma estudante do 4º ano de direito e filha de um milionário paulista. Aos 21 anos tinha uma vida de cinderela. Ele é o jovem Raoni Renzo, sem estudo, filho de uma sequestradora. Aos 18 anos já tinha passagem pela polícia por sequestro relâmpago.

QUADRILHA Orlando, Leandro e o namorado de Ana, RaoniEra pouco mais de sete horas da manhã da quinta-feira 8 quando uma equipe da polícia civil paulista entrou no luxuoso apartamento da família Sousa, no elegante bairro do Cambuí – quatro dormitórios no 15º andar, com mais de 300 metros quadrados e estimado em R$ 2 milhões, com elevador privativo e panorâmico. Assim que a delegada Denise Lourenço deu voz de prisão à garota, Ana Paula não perdeu a arrogância. Seguiu-se o seguinte diálogo:

– Ana, você está presa!

– Não estou não, vamos ver? Pai, telefona para o coronel.

– Não adianta, pode ligar para quem você quiser, mas você está presa.

– Não estou, meu pai conhece todo mundo.

A tentativa de Ana Paula de intimidar os policiais não deu certo. E seu pai, um dos maiores empresários do ramo da construção civil, nem sequer pôs a mão no telefone. Diante do situação, a filha acatou a ordem, mas não abandonou a vaidade.

– Está bem. Mas você pode esperar eu pôr uma roupa melhor?

Na delegacia, Ana Paula não quis falar oficialmente sobre a sua vida bandida.
E nem era muito necessário. Os depoimentos de dois de seus comparsas a incriminavam. E mais: Para surpresa da polícia, na casa da namorada de um de seus pares foram encontradas fotos e vídeos da quadrilha, imagens que falam por si. Nos retratos Ana Paula aparece divertindo-se com uma arma calibre 32 e em companhia do resto da turma em festas particulares, banhos de piscina e, na mais incrível das cenas, supostamente os bandidos se divertem contando o dinheiro dos furtos. “É a total convicção de impunidade”, diz a delegada Denise.

Segundo a polícia, a vida bandida da jovem começou há seis meses quando ela conheceu numa rave o namorado Raoni. De lá para cá, eles assaltaram quatro lotéricas e diversas mansões na mesma região onde ela vivia. “Como a Ana conhecia muito bem a área, era ela quem definia as rotas de fuga”, diz a delegada. As ações do bando ganharam fama pelas ruas de Campinas, principalmente porque era ela, com sua beleza, quem dirigia o carro em alta velocidade. Ana Paula passou a ser conhecida como “A loira do Astra”, uma alusão ao potente carro que usava para fugir. Comenta-se entre as colegas de escola que o veículo (motor 2.0, bancos de couro e automático) foi um presente que o pai lhe dera no último ano. A quadrilha era dada também a outras extravagâncias. Segundo a polícia, quando eles assaltavam as casas de loterias, os cheques que vinham junto com as notas eram lançados pelas janelas do carro. Outro detalhe que chamou a atenção dos investigadores foram os depoimentos das vítimas. “Ela deixou seu registro pessoal nas casas que assaltou, pois fazia questão de roubar os perfumes e produtos de maquiagem importados”, diz a delegada. “No quarto de Ana, perfumes como Chanel e Carolina Herrera dividem espaço com jóias e equipamentos eletrônicos”. A família da estudante está em choque e só a mãe, que é assistente social, conseguiu acompanhar a filha à delegacia. De família tradicional, os Sousa participam também do poder político nas cidades próximas. Um dos tios de Ana foi prefeito de Serra Negra e outro chegou à presidência da Câmara dos Vereadores de Campinas. Uma coisa é certa, há um detalhe nessa trama que jamais seria imaginado por nenhum escritor. Ana Paula está presa na cadeia feminina de Indaiatuba, onde divide a cela com sua sogra, acusada de sequestro.»

Reportagem “Gata bandida”, de Alan Rodrigues, na IstoÉ.


Ações

Information

One response

20 03 2008
dingo

essa já era

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s




%d bloggers like this: